PT-BR  FR 
Busca    
Newsletter Fale conosco √Ārea reservada
IPEAK
ALLAN KARDEC
O QUE √Č O ESPIRITISMO
A SOCIEDADE ESP√ćRITA DE PARIS - SPEE
OBRAS DE ALLAN KARDEC
HIST√ďRIA DO ESPIRITISMO
ROTEIROS DE ESTUDOS - IPEAK
ESTUDOS E PESQUISAS
Sobre Jesus e sobre o Espírito de Verdade

GEAK - Sessão do dia 06 de dezembro de 2016

 

Na última sessão realizada antes das férias de final de ano evocamos novamente o Espírito de Bertrand Russell. Gostaríamos de ouvir a opinião dele nos dias de hoje, sobre Jesus. Propusemos-lhe o seguinte:

Sr. Russell, conhecemos o seu discurso pronunciado em 1927, intitulado "Por que não sou cristão”, no qual o Sr. expõe seus argumentos para justificar sua posição com relação à não crença em Deus e a não aceitação de vários ensinos de Jesus. Desejando conhecer seu pensamento atual a esse respeito, formulamos as seguinte questões:

1. Poderia nos falar sobre como o Sr. percebe hoje o papel de Jesus, o Cristo?
2. Como o Sr. entende o papel do Espírito de Verdade para a Humanidade?

Recebemos seguinte comunicação:

Sobre Jesus e sobre o Espírito de Verdade

"Amigos,

Quando despertei do sono de meus preconceitos terrenos, após o término da canção de ninar que me embalava, pude compreender o papel do Cristo, que hoje vejo como o maior sábio que a humanidade já recebeu em seu seio.

Jesus foi o clarão matinal que, antes rejeitado por mim, confundiu o meu espírito e retirou a minha paz; entendo hoje que Jesus é o arquétipo de perfeição a que os homens podem aspirar, e que sacudiu, numa breve existência, toda a humanidade, deixando um legado que atravessa os milênios.

Quando percebi que suas promessas eram a expressão da verdade? Foi quando, pela morte, empreendi minha última viagem, e me tornei alma sem corpo. Fui a demonstração da coisa realizada, e pude constatar que toda a doutrina de Jesus, que na Terra me parecera tão absurda, tinha seu fundamento em verdades que até então tinham me escapado: a imortalidade, a reencarnação, a transmigração para mundos superiores. Compreendi, assim, as bem-aventuranças; aprendi a rezar a Oração Dominical com humildade, e tornei-me discípulo dos que compreenderam as lições de Jesus muito antes de mim.

Respondendo a outra pergunta que me dirigem, penso que o Espírito de Verdade tem o papel de explicar o sentido profundo dos ensinos do Cristo, desvelar a sabedoria contida nas alegorias, mas também despertar as consciências obtusas, imprimindo direção nova ao progresso de indivíduos e instituições, por meio do Espiritismo.

Vejo, aqui nesta reunião, se movimentarem Espíritos de todas as ordens, desde os mais imperfeitos aos mais superiores, e acima de todos, iluminando os ares em que estamos imersos, está o Espírito de Verdade; vejo que ele preside um conjunto imenso de trabalhos, mas que também está aqui, entre nós. Seu desejo é ver o avanço de toda a Humanidade, e seu papel é, em suma, o de maestro de todo o conjunto, para que a harmonia dos esforços se estabeleça e todos caminhemos, cada um de acordo com as suas possibilidades, sob a sua condução.

Eu o vejo com suas asas abertas, convidando-nos a segui-lo. Vou ter com ele, amigos, para que eu possa me instruir sobre como me livrar de minhas imperfeições e como me tornar mais útil ao conjunto da obra de regeneração iniciada com o advento do Espiritismo. Se desejarem, poderei voltar para compartilhar as minhas impressões e o que eu pude aprender.

 

Russell.
Psicografada em 06/12/2016.

 

O consolador prometido 

"Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: – O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós. – Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito. (S. JOÃO, 14:15 a 17 e 26.)

Jesus promete outro consolador: o Espírito de Verdade, que o mundo ainda não conhece, por não estar maduro para o compreender, consolador que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para relembrar o que o Cristo há dito. Se, portanto, o Espírito de Verdade tinha de vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não dissera tudo; se ele vem relembrar o que o Cristo disse, é que o que este disse foi esquecido ou mal compreendido.

O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: O Espírito de Verdade preside ao seu estabelecimento. Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas. Advertiu o Cristo: “Ouçam os que têm ouvidos para ouvir.” O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, nem alegorias; levanta o véu deixado intencionalmente sobre certos mistérios. Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores.” (…) (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. VI - O Cristo consolador -Consolador prometido, itens 3 e 4)

topo da p√°gina voltar imprimir indicar